DOLCE & GABBANA AW13 MENSWEAR

A semana de moda masculina de Milão (outono-inverno 2013) começou com o desfile Dolce & Gabbana e sua já tradicional reverência à Sicília.

Esses homens sicilianos são aclamados como protagonistas do desfile, pois foram escolhidos pessoalmente por Domenico Dolce e Stefano Gabbana pela beleza e expressão de caráter manifestada em seus semblantes.

Batizada de Devoção, a coleção prega ser uma dedicação ao culto absoluto à alfaiataria, ao corte, aos tecidos de qualidade prestigiada e aos detalhes que envolvem a arte da costura. Ao contrário do esperado, o corte das calças é reto. Será que a modelagem skinny rente às pernas se foi?

O colete causou desejo para os mais vaidosos que buscam traços da realeza nostálgica. Os homens também gostam de histórias de príncipes e princesas? Ao que tudo indica, sim!

As camisas e blusas em seda com imagens estampadas de Nossa Senhora, Jesus Cristo e Santos celebram o sentimento religioso ao Catolicismo que a região siciliana carrega intensamente.

O preto, como de praxe, está presente nas peças mais importantes como calças, ternos e casacos que vem em cashmire ou veludo — que é presença marcante a ser observada e adotada. Já o cinza aparece em peças bordadas, coletes e camisetas, além dos esperados ternos. Por fim, o branco surge nas camisas de popeline e em camisas bordadas.

As cores são vistas nas estampas com ícones religiosos e nos bordados florais em ponto de cruz aplicados em casacos de veludo, coletes e blusas.

O bordado floral é mais um elemento que brinca com a tendência que questiona e revisita a androginia.
Um detalhe curioso são as echarpes de noite em seda brocada com franjas também em seda que roubam a cena e fazem com que as gravatas desapareçam. Dandy!

Os sapatos seguem a mesma linha com bordados em ponto-cruz no veludo ou em couro preto ao melhor estilo siciliano.

A ligação com o cinema e seus personagens é inevitável. Parece-se respirar a transição da década de 50 para aquela de 60. Uma coisa meio turma do rock e baile de twist. Não é à toa que a trilha sonora é justamente a música original de Nino Rota para “La Strada” (ou “A Estrada”) de Federico Fellini.

Anúncios