Christian Dior S/S 2013

O Surrealismo chega à maison Dior pelas mãos de seu diretor criativo Raf Simons.

Reafirmando a ruptura com seu antecessor John Galliano, Simons entra em cena pregando a herança da arte da alta-costura que a casa Dior sempre representou.

Na campanha primavera/verão 2013 para a linha de Prêt-à-porter, sua primeira desde que assumiu a marca em 2012, o diretor artístico se inspira na obra surrealista de René Magritte ( 1898- 1967).

O fotógrafo Willy Vanderperre — de origem belga, bem como Magritte e Simons — brinca com perspectivas imaginárias nos cliques da campanha. Talentos somados, o resultado da inspiração é uma liberdade que explora janelas fantasiosas com paisagens de nuvens brancas em céu azul e arquiteturas delirantes que criam um cenário artístico perfeito para o questionamento entre o sonho e a possibilidade. Ali inseridas como bonecas, as manequins vivem o resplendor Dior dos dias atuais.

As modelos escolhidas para encarnar o novo universo da grife francesa são Daria Strokous, Anna Matynova, Maria Piovesan, Karlie Kloss e a brasileira Daiane Conterato.

Nas imagens, a mulher Dior oscila entre roupas femininas e masculinas sem jamais perder a feminilidade. Lenços amarrados ao pescoço são o toque de vaidade venusiana que modifica o terno. Para as saias floridas e armadas, as blusas pretas de mangas longas criam o equilíbrio.

A coleção exprime um jogo de contrastes. Chique e elegante, a mulher criada por Raf Simons está longe da ostentação que simbolizou a maison Dior nos últimos anos.

Anúncios