‘Nomadismo’ segundo Li Edelkoort

Dê adeus ao estável, o Nomadismo é o princípio norteador dos novos estilos de vida, e portanto é também tendência nos tecidos e na moda para a primavera-verão 2014.Quem afirma é Li Edelkoort a trendsetter internacional convidada do ComOn.

Li Edelkoort

Realizado em Como, Itália, o ComOn é um projeto europeu de Creativity Sharing, cujo escopo principal pretende promover o encontro dos criativos internacionais de todos os setores: têxtil, arte, alimentação, design e, moda. No intuito de criar sinergias entre os participantes, Edelkoort foi orientada a indicar direções futuras que possam funcionar como motivo nuclear.

A viagem nômade atual compreendida como migração, expressão de movimento constante e continuo em torno ao globo, com uma crescente atenção à ecologia e uma visão amigável em relação ao outro é percebida como convivência social. Isso, em síntese, é a mensagem que Li Edelkoort indicou que seria o Leitmotiv , ou seja motivo condutor, da próxima estação quente, influenciada por regras completamente diferentes em respeito àquelas de um passado recente. A geração wireless, de fato se move em absoluta liberdade, relegando escritórios, escrivaninhas e estabilidade ao passado.

“Tenho a sensação de que estamos caminhando para o amalgamar de todos os contrastes então tudo que prova ser preto ou branco tornar-se-á cinza. Masculino e feminino, saudável e perigoso, leve ou pesado, atlético ou preguiçoso, todas essas coisas que agora dizemos : Você é isto ou aquilo.

Sou ambos mas, sou ambos de forma tal que isso realmente se apresenta como algo novo. Então, eu não rotulo essas duas coisas, mas vou além encontrando coisas novas que se entrelaçam intimamente. Mas, talvez primeiro seja preciso uma outra guerra mundial antes que cheguemos lá.” Declara Li Edelkoort.

Um grande paradoxo se forma entre como moldaremos nossas personalidades em contraste ao meio-ambiente e também somado ao desenvolvimento econômico e geopolítico . Na ausência de forças ou poderes os indivíduos enfrentarão paradigmas que terão como única solução um estremecimento maior e global.

Nas tendências, nos distanciaremos dos pioneiros do século passado chegando aos nômades urbanos de hoje, das tribos itinerantes aos viajantes intelectuais, passando pelo Grand Tour de memória Goethiana até chegarmos a curtos momentos de relaxamento em templos modernos de cura. As cores quentes, aparência gasta ou usada pelo tempo e referências exóticas mas também folclóricas estarão presentes, porque cada manifestação de liberdade estética e de pensamento pode tornar-se uma fonte de inspiração.

Agora que os smartphones, os tablets e os pocketbooks nos deixaram livres e wireless podemos trabalhar quando e onde quisermos; sentados em um café, restaurante ou mesmo na cama, passeando no parque ou no shopping, ou até mesmo durante um voo, por consequência escrivaninha e escritório não servem para mais nada. Podemos reinventar completamente nossas vidas e nossos ritmos. Os confins entre trabalho e tempo livre são sempre mais e mais sutis. Agora cabe a nós estabelecer as prioridades e o tempo. E como diz Li Edelkoort “ Somos livres para vagar e sermos errantes.

Anúncios