Lidewij Edelkoort: “Estamos cansados de ver as mesmas marcas pelo mundo afora”

Muitos dizem que as tendências de moda hão de ter fim, enquanto outros depositam nestas pesquisas boa parte do desenvolvimento de seus produtos e comunicação de marca.

Lidewij Edelkoort, ou melhor, Li Edelkoort como é conhecida, esta holandesa, ocupa hoje a liderança mundial em pesquisa de tendência ou trend forecaster. Há vinte anos suas observações sinalizam o que o consumidor do amanhã irá buscar.

Lidewij Edelkoort

Em 2008, o governo francês e a casa dos Orange, família real holandesa, honraram Edelkoort com o título de cavaleira em reconhecimento por sua dedicação em vida na perpetuação e valorização da cultura artesanal.

Li que já esteve em terras brasileiras, mora em Paris onde comanda suas duas empresas com filiais em Nova Iorque. Quando a pesquisadora fala, as empresas ouvem. Em sua carteira, clientes como Coca-Cola, Phillips, Estee Lauder, Shiseido e L’Oreal entre outras, inclusive companhias automobilísticas.

Edelkoort transita no mundo industrial com desenvoltura indo da moda têxtil ao design moveleiro, das fragrâncias aos eletrônicos, da beleza à saúde unindo todos os setores dentro de um único ponto de referência: o futuro.

Em 2011, Li foi curadora do show Talking Textiles no Salone del Mobile de Milão. Conhecida como a nata da qualidade do design, pode soar polemica em suas declarações como por exemplo quando diz considerar hoje os tecidos como espécies à beira da extinção que desaparecerão do mapa caso a ação não seja imediata.

Pesquisadores de tendências não podem descrever alguma coisa que não existe, explica Edelkoort, eles não podem inventar tendências. “Pesquisa de tendência tem a ver com o senso de criatividade. Em resumo, o que faço é capturar, documentar, interpretar e passar a diante a informação; explica Li ao descrever seu trabalho que há muito também se tornou seu hobby.

De acordo com Li, trend research não é uma ciência e sim uma arte que nasce de uma necessidade. Trend forecasting, previsão de tendências mais exatamente, ao contrário de trend spotting (reconhecimento de tendências) é indispensável para cada ramo da indústria.

“Eu não descubro nada novo. O que faço é observar e interpretar comportamentos e humores das pessoas e anotar tudo aquilo que vejo. Ajo como uma catalisadora do espirito ou humor do dia e transformo em tendências o mais cedo possível. Edelkoort primeiramente, acredita em sua intuição e em seguida trabalha com cenários explicativos e filosofia. A percepção dos movimentos sociais, desenvolvimentos políticos e mudanças sociais são ferramentas utilizadas com maestria pela profissional em seu trabalho.

Mas qual a diferença entre tendência e estilo de vida ( trend and lifestyle)? E por quanto tempo esses ciclos duram?

Li Edelkoort diz que uma camisa, uma forma ou uma cor podem ser exemplos de uma tendência.

Enquanto existem tendências de curta e media duração, a maior parte delas duram períodos maiores, que evoluem gradativamente a cada estação ou retornando de tempos em tempos.

Oscar de la Renta SS 2013

Segundo Li a cor rosa, por exemplo, é hoje em dia um clássico na moda. Da mesma forma ursinho representam aconchego que é no momento, uma atitude de amor. Sofrendo transformações ao longo do tempo materiais que remetem à ideia de pele estão sempre presentes. A obsessão por plantas e jardins introduziu o conceito de dentro-fora. Esses lifestyles são tendências que duram uma vida, como 5, 10 ou vinte anos ou até mesmo 50 anos, isso mesmo meio século, antes que percam a popularidade.

Mas Li Edelkoort nunca erra em suas previsões? Ela declara com segurança que jamais errou no entanto assume ter se enganado no período de duração de algumas tendências. Segundo Edelkoort calcular o tempo ou duração exatos de uma tendência é o exercício mais difícil.

 Well Being Bible de Li Edelkoort

Em um de seus livros de tendências intitulado “A Bíblia do Bem Estar” Li Edelkoort evidencia a necessidade que as pessoas tem, cada vez mais, em descobrir e sentir conforto em todos os aspectos e momentos da vida. Na Bíblia de Edelkoort o mandamento é “Divirta-se” pois, segundo a autora, todo consumidor deseja fazer algo de bom para si mesmo e integrar mais divertimentos e experiências prazerosas sensoriais em suas vidas diárias.

Vamos conferir algumas das tendências identificadas por Li Edelkoort?

1 – O fim do estilo Global

Uma ideia que está chegando ao fim é a de globalização, o que Li tem alertado seus clientes nos últimos 5 anos. Segundo ela essa tendência já teve seus dias e sue fim está chegando. “Estamos cansados de ver as mesmas marcas pelo mundo afora. Não importa onde estejamos, Nova Iorque, Tóquio ou São Paulo”. Edelkoort acredita que produtos locais passarão por uma fase de renascimento tal qual as cozinhas regionais. Isso não significa que marcas globais vão acabar mas eles terão que se adaptar às necessidades dos consumidores locais. Marcas futuras experimentarão um novo folego se souberem combinar a base de seus produtos com detalhes locais, um sabor nacional e variedade regional. O mainstream acabou, declara, o lugar comum agora é uma rua sem saída.

Quando se trata de estilo de vida, Li enxerga nossa sociedade em um momento de mudança: Estamos começando a desacelerar e levar as coisas de forma mais tranquila. Ainda mais, as pessoas estão procurando mais autenticidade e honestidade, verdade e comunicações diretas.

2- Democratização do luxo

Em 2008 Li já divulgava publicamente o enorme crescimento do mercado de luxo como reação ao enfoque do mercado consumidor.

Ela batizou o termo “Democratização do luxo” para descrever esse desenvolvimento, o qual envolve fronteiras tênues entre marcas exclusivas e itens com descontos. Na opinião de Edelkoort no final desse processo, os consumidores iriam querer Zara ou Prada, H&M ou Hermès, mas nada no meio do caminho. De fato essa parece ser nossa atual realidade.

O conceito do luxo mudou dramaticamente nos últimos anos e hoje engloba uma dieta saudável, cuidar-se e sentir-se bem. Uma nova forma de luxo se está desenvolvendo na qual produtos de alta-qualidade e durabilidade são aqueles que figuram como principais. Esses objetos melhorarão com o tempo e os consumidores formarão uma relação com eles.

3- Bem –estar dentro e fora?

Ainda há alguns anos, Li alertou sobre o boom da indústria do bem-estar. De acordo com sua teoria é em períodos de ataques terroristas, desastres naturais e crises econômicas, que as pessoas procuram mais segurança, conforto, equilíbrio e calma. O desejo de bem-estar é a força que guia todos os aspectos de nossas vidas inclusive o lazer. Férias longas também não seriam mais tão necessárias e em seu lugar um pouquinho de férias sempre que necessário. A sensação de férias todos os dias por meio de mundos de bem-estar onde pode-se obter uma sensação de estabilidade, relaxamento, e equilíbrio. Esses estabelecimentos incluirão comidas de alta-qualidade, ambiente luxuosamente decorado com produtos exclusivos para o cuidado do corpo e cabelo. Esse novo estilo de vida terá grande influencia na forma que comemos.

Li Edelkoort anunciou anteriormente que comida, bebidas e cosméticos participariam decisivamente na vida das pessoas em suas buscas por novos gostos e impressões sensoriais, e que isso engatilharia uma inundação de novos itens de consume. O Japão inspiraria muitas tendências desde moda, hábitos alimentares e cosméticos inclusive técnicas de relaxamento. Fragrâncias seriam um ponto critico em todos os tipos de produtos no futuro inclusive comidas.

Observando de olhos bem abertos e catalisando atitudes, Li Edelkoort é uma visionária capaz de antever em larga escala as necessidades e vontades de uma sociedade ao redor do mundo com a qual convive e evolui.

Anúncios