Maria Theodora Zaccara lista impressões do evento da Tiffany & CO. em Brasília

Quando olhamos para aquela específica caixinha azul Tiffany & Co., muitas coisas nos vem a cabeça: Audrey Hepburn segurando seu icônico bagel na vitrine da joalheria em Nova York — venhamos e convenhamos, a danado do pãozinho também fez história! –, Marilyn Monroe e sua obsessão por diamantes; pedidos de casamento em iates exclusivos… Muitos cenários surgem a nossa mente, mas ali dentro, no fundo daquela caixinha, vive uma história/cultura de séculos de qualidade, luxo e trabalho manual.

Atriz Audrey Hepburn na icônica cena do filme “Bonequinha de Luxo” — Breakfast at Tiffany’s — de 1961. Sua personagem adorava tomar seu café da manhã em frente à joalheria norte-americana

Na quarta-feira (24),Tiffany & CO. sediou no shopping Iguatemi Brasília o evento “The Perfect Wedding“, onde alguns dos maiores experts do assunto puderam compartilhar experiências, dar dicas, interagir com a plateia e nos ensinar um pouco mais sobre essas gemas tão idolatradas e a maneira Tiffany de cuidar desses nossos melhores amigos [diamantes] — bem colocado, Marylin!

Diamonds Are a Girl’s Best Friend/”diamantes são os melhores amigos de uma mulher” é uma música do musical da Broadway “Gentlemen Prefer Blondes”, que virou filme homônimo de 1953, estrelando Marilyn Monroe

O processo de transformação de uma gema em um diamante pronto para o consumo é dividido em quatro etapas: cor, pureza, lapidação e quilate.

Cor

Que o mito seja desmentido. Diamante não é branco, é incolor, e quanto mais incolor, melhor! Em uma tabela alfabética, os diamantes mais transparentes e límpidos são os mais raros e se dividem em 3 grupos de extrema qualidade. A Tiffany trabalha com os dois primeiros [D, E, F e G, H, I].

Em seguida, vem os amarelados, que tem pigmento colorido, mas que ainda são imperceptíveis a olho nu. Ao desenvolver do abc, ainda tem os realmente amarelos, possíveis de perceber a coloração e os marrons, muito pouco valorizados.

Lapidação

Uma das maiores preocupações dessa joalheria sem comparação é a lapidação. Os anéis de noivado, por exemplo, são projetados para que sua estrutura capte o máximo possível de luz, tornando-se assim mais irresistível e brilhante. É difícil acreditar, mas esse processo é bem mais importante que o quilate no fim das contas.

Pureza

Nem sempre a mãe natureza fermenta diamantes completamente puros [como o mundo seria perfeito se ela cooperasse com a gente! hahaha], mas nem por isso os demais são menos preciosos. Com um pouco de trabalho e muito esforço, é possível chegar ao núcleo desse diamante, usufruindo assim de sua forma (ponto) mais perfeita!

Quilate

O quilate é a conexão mais popular que temos com o diamante. Todo mundo quer o maior, o mais gordo, o mais farto, mas nem sempre o tamanho de tal significa que essa é a melhor pedra. Diversas vezes um diamante tem que ser lapidado, perdendo até mais da metade de sua quilatagem original para poder, assim, transmitir o máximo de luz e brilhar mais do que o esperado. Não morreremos por isso.

Tiffany Setting

Depois de compreendida a dinâmica de uma gema, chegamos à parte legal da conversa; os modelos da Tiffany e a “maneira azul turquesa de fazer joias”. E não tem exemplo melhor para ilustrar esse assunto do que o Tiffany Setting, a primeira e mais icônica aliança de todos os tempos. Desenvolvido em 1986 pelo próprio Charles Tiffany, a estrutura desse anel potencializa tudo que um diamante tem de melhor! Além de ser o mais vendido, ele também é o mais cultuado e recomendado para todos os tipos de noiva — desde as mais modernas até as bem românticas. Opções existem diversas; o contemporâneo Lucida, o pomposo Soleste, o romântico Embrace, o inconfundível Legacy, o marcante Etoile e o elegante Bezet, dentre outros muitos modelos, incluindo os diamantes coloridos dos quais eu não tenho nem forças para falar.

De cima para baixo, modelos Lucida,  Soleste, Embrace, Legacy, Etoile e Bezet

Depois de todo esse overload, acho que bateu uma mini depressão em todos, né? Diamantes embrulhados em uma caixinha azul turquesa garantem 99% de chances para um “I do”. O resto depende dos noivos! [hahaha].

{Quer saber mais informações da Maria Theodora, a Teddy? Ela tem o blog ENteddyADA, com mais detalhes do evento da Tiffany!}

Imagens©Reprodução

Curta o BLOGAZINE no Facebook para que possamos ser amigos e siga-nos no Twitter @Blogazine_ para conversarmos

Anúncios