Sonia Rykiel: reconhecimento merecido ‘in vita’

Ser reconhecido ainda em vida é um ato que acredito ser especial. Aos 82 anos, a estilista francesa Sonia Rykiel recebeu este mês a insígnia de Comendadora de Artes e Letras das mão de Pierre Bergé, presidente da Fundação Pierre Bergé – Yves Saint-Laurent. Na mesma ocasião, na prefeitura da capital francesa, Rykiel foi agraciada com a medalha da cidade de Paris, que foi entregue pelo prefeito Bertrand Delanoë.

A medalha chamada Médaille de Vermeil é doada às figuras culturais que causaram um impacto na cidade de Paris, enquanto a insígnia de Comendador é uma das mais altas distinções francesas.

Presente com sua família e amigos, a designer recordou seu primeiro sucesso mundial: um suéter de proporções e corte diminutos que ficou conhecido como “pull pobre menino” ao figurar na capa da revista Elle no final dos anos 60.

Conhecida como criadora do movimento ‘démode’, Sonia Rykiel sempre foi símbolo de cor e alegria de viver — traduzidos em malha de tricô. As listras coloridas, as palavras de ordem que causaram choque na sociedade, os pom – pom e strass, todos esses pronunciaram a liberdade feminina de uma época.

Em seu discurso, Pierre Bergé declarou que Sonia foi uma das raras pessoas que compreenderam que a moda não é feita para satisfazer os fantasmas de um criador, mas sim para agradar às mulheres. E acrescentou que não somente agradar às mulheres ricas e ousadas, mas também àquelas ativas.

Sonia Rykiel disse que entre todos os papéis que desempenhou em vida, jamais imaginou estar naquele que se encontrava. Receber tal medalha simbolizou um sonho em vida para a designer.

Atualmente a marca Sonia Rykiel tem o canadense Geraldo da Conceição como diretor criativo. Nathalie Rykiel, filha de Sonia, ocupa a vice-presidência do conselho administrativo da marca.

 

Curta o BLOGAZINE no Facebook para que possamos ser amigos e siga-nos no Twitter @Blogazine_ para conversarmos

Anúncios