Saiba por que os sapatos Matohu chamaram a atenção do Blogazine na CFW

Tendências nascem do olhar daqueles que de alguma forma observam comportamentos em vários cantos do mundo. Por sorte ou política, tornam-se centro das atenções e manifestações sociais.

Muitos discordam e dizem que as tendências precisam acabar; enquanto outros garantem que algum direcionamento é sempre justo e necessário.

Semana passada, na CFW, conheci Hiroyuki Horihata, estilista japonês da marca Matohu que veio ao evento desfilar pela primeira vez no Brasil.

Makiko Sekiguchi e Hiroyuki Horihata (designers da Matohu)

Os modelos dos calçados me fizeram ir de encontro ao estilista indagar a origem da criação. Todos de design próprio desenvolvidos no Japão. Para minha surpresa, Hiroyuki não tem nenhuma formação no setor calçadista e desenvolve seus produtos de forma instintiva. Ao comentar sobre a feira de calçados italiana Micam e algumas marcas que já estão trabalhando na mesma frente que ele, este se mostrou curioso por conhecê-las.

Seria o inconsciente coletivo de Jung funcionando na moda???

O elemento étnico é visível e a proposta de vivenciar o retorno das babuchas evidente.

Fáceis de calçar, como gostam os orientais, os modelos desfilados prezam pelo conforto.

Trabalhados em couro, todos os sapatos apresentam a garantia de um produto de qualidade 100% natural. A cartela de cores transita de tons suaves como o verde água e bege, mistura o branco com o goiaba ou o amarelo e chega ao preto.

O efeito tie-dye, presente em alguns modelos, reflete um twist modernoso!

Sem sombra de dúvidas, o modelo que mais caiu no gosto dos convidados ali presentes foi a bota de cano curtíssimo e de aspecto rocker, mas com pureza minimalista como a obra de Matohu.

 

Anúncios