Raf Simons e Hedi Slimane: protagonistas da próxima revolução na moda

A moda masculina vive sua melhor forma. O fato mais evidente é a transição dos estilistas Raf Simons e Hedi Slimane para os cargos de direção criativa da maison Christian Dior e Yves Saint Laurent, respectivamente.

Hedi Slimane e Raf Simons, grandes estilistas de moda masculina, assumiram a direção criativa
de grifes que produzem essencialmente moda para mulheres. Por quê?

Esses dois estilistas são mestres do vestuário masculino que, vale lembrar, comandam grifes dos dois maiores conglomerados de marcas de luxo do mundo. A YSL pertence a PPR e a Christian Dior está sob gestão da empresa LMVH.

Mas por que grifes especializadas em abastecer o guarda-roupa de mulheres sofisticadas recrutaram designers com expertise em moda masculina? Acontece que a moda feminina vem sendo revolucionada, boa parte com elementos da indumentária masculina. E tudo isso em nome da inovação, que é o que movimenta eu e você, o mundo.

Em 1966 Yves Saint Laurent lançou o smoking feminino, com blusa transparente e calça
masculina. Na época, a combinação representava uma provocação sexual e social

Um dos melhores exemplos para esse fenômeno é a transição do estilista Giorgio Armani para moda feminina. A grife italiana recentemente bateu recorde de faturamento por seu acordo de produção com a China, representando um aumento de 45% em vendas realizadas em 2011. Em época de crise, este é um dado significativo.

Giorgio Armani em foto de Scott Schurman. Sua empresa vendeu
em 2011 exatos $391.7 milhões de dólares

Ninguém consegue uma arquitetura de vestuário como a moda masculina. O design da peça tem que ser pensado levando-se em consideração sua funcionalidade. As últimas revoluções dentro da maneira de se vestir vieram de mudanças no shape/estrutura da roupa. Como mencionei, estamos falando dos maiores conglomerados de luxo do planeta, que, consequentemente, não jogam para perder.

Sabia, por exemplo, que tanto a frente como a parte posterior de um blazer precisam
ser equivalente em peso? Tudo depende do caimento perfeito nos ombros. Equilíbrio

Se você observar, de maneira geral, o homem está mais feminino e a mulher aparece cada vez mais masculinizada. Essa vontade transcende as passarelas. Isso não é um acidente.

Celine por Phoebe Philo, coleção Resort 2013

A atual crise econômica européia muito tem a ver com toda essa mudança. Não preciso ressaltar que moda vai além da roupa, desenhando fielmente o momento que vivemos, como uma fotografia de nossos desejos e expectativas.

No Brasil, vive-se um período de preocupação com o cenário da moda nacional. A indústria e a mão-de-obra para esse setor diminui cada vez mais, além do grande problemas das taxações. Em 2011, importamos muito mais do que exportamos, por exemplo.

Coleção João Pimenta, Verão 2013

A crise obrigou o mercado a olhar para os países emergentes. Grandes grifes de luxo ganharam lojas próprias em território nacional, o que aumentará a competitividade de vendas.

O motivo? Preço final equivalentes. Grandes marcas internacionais tem a produção chinesa como aliado, o que deixa o custo final do produto mais atraente. A maioria das marcas brasileiras não conta com a mesma vantagem.

Versace, spring-summer 2013

O consumidor brasileiro vai preferir uma bolsa Prada ou uma de produção nacional? De qualquer forma, isso rende assunto para um próximo post.

Desfile Amapô, SPFW Verão 2013

Durante a São Paulo Fashion Week de Verão 2012/2013, ao final do desfile da Cavalera, estilistas
juntaram-se para um manifesto: “Presidenta Dilma, precisamos falar com você! A moda
agradece”. A indústria da moda é a segunda que mais emprega no país

Importante mesmo é que poderemos assistir esse novo momento da moda bem de perto.

A primeira coleção do belga Raf Simons para Dior é de alta-costura e será exibida em uma segunda-feira (02.07) em um hotel particulier desocupado na Avenue d’Iéna – próximo ao Arco do Triunfo, Paris.

Hedi Slimane já causou burburinho antes mesmo de seu début. O designer mudou o nome da grife Yves Saint Laurent para Saint Laurent Paris, com a permanência das inconfundíveis letras YSL como logomarca.

A mudança simboliza uma nova era dentro da marca, com a intenção de resgatar a inspiração do estilista Yves Saint Laurent ao criar sua linha prêt-à-porter, a Saint Laurent Rive Gauche, em 1966.

A estreia de Slimane acontecerá em setembro, durante a semana de moda de Paris, que mostrará a coleção de prêt-à-porter feminina.

Anúncios